fbpx

Entenda como precificar o seu produto digital

Atualmente, o comércio eletrônico vem crescendo e para aqueles que estão ingressando no mercado, fica uma questão: como colocar preço em produtos digitais? A resposta poderia ser complicada, porém, precificar seus produtos pode ser mais simples do que parece. É preciso, no entanto, conhecer bem o mercado de seu produto, compreender as diferenças entre um infoproduto e um produto físico, entre outros detalhes.

Por isso, a seguir, explicamos o que é precificação, o que é necessário considerar no momento de realizar a precificação em seu produto, o passo a passo, além de estratégias para precificar.

Saiba tudo sobre precificar um produto digital, colocar preço no trabalho e como precificar um produto digital. Tudo sobre precificação. | Foto: Freepik.

O que considerar ao precificar seu produto

Antes de saber como colocar preço em seus produtos digitais, é preciso saber o que é precificação e o que devemos considerar antes de precificar algo. Primeiro, precificar significa atribuir um valor econômico, ou seja, um preço de venda, a produtos e serviços. Para isso, é preciso pensar estrategicamente, levando em consideração alguns detalhes que irão garantir que a empresa ou o vendedor obtenham lucro, a partir dessa precificação adequada.

Atualmente, existem dois tipos de cálculos, que estão entre os mais usados, para atribuir valor a um produto, que são: preço baseado em custos e preço baseado no valor percebido. Sendo assim, você deve utilizar esses métodos ao fazer a precificação do seu produto.

Segundo, é necessário que se tenha em mente algumas considerações, antes de colocar preço em um produto, ainda mais se ele for um produto virtual. A primeira questão a se pensar são as diferenças de um produto físico e de um infoproduto. Isso porque existem alguns tipos de custos que um produto físico demanda e que o produto digital não possui, porém, existem outros custos, que somente o digital tem. Por exemplo, um infoproduto necessita de uma plataforma para ser hospedado e vendido e, muitas vezes, essas plataformas demandam de um custo mensal. Enquanto um produto físico, por exemplo um livro, irá exigir o gasto com as impressões da obra e o digital é feito totalmente on-line.

Então, além de observar as questões internas de seu negócio para a precificação de um produto, é preciso pensar nos fatores externos que influenciam esse cálculo. Um grande exemplo é o público e sua percepção perante o valor dessa precificação. Por isso, conheça sua persona, ou seja, para quem está vendendo. Leve em consideração suas necessidades e demandas, ou seja, o quão essas pessoas estão dispostas a pagar em determinados produtos, como atendê-los, entre outros fatores.

Portanto, a seguir, saiba tudo sobre o passa a passo da precificação de um produto.

Passo a passo para precificar seu produto

É possível seguir um passo a passo para colocar preço em seus produtos digitais e, dessa forma, não ter nenhum problema na hora de fazer sua conta. Isso irá garantir que você coloque no papel tudo o que é necessário para calcular o preço de seu produto, isto é, calcular a precificação.

Então, a seguir, confira o passo a passo dessa precificação:

Custo de produção

Para precificar um produto é necessário levar em consideração todos os fatores que lhe agregam valor e todos os gastos que teve com ele. E um dos primeiros a serem colocados no papel é o custo de produção de seu infoproduto. Na verdade, esse será o primeiro passo para calcular em qualquer tipo de produto.

Para calcular o custo de produção, é necessário lembrar de todos os equipamentos que utilizou para produzi-lo, o tempo que levou, se exigiu energia ou água, por exemplo, ou outros tipos de gastos. Então, pegue todos os gastos que teve e faça uma média dele.

Essa conta é bem simples: basta somar tudo o que gastou na fabricação daquele produto, para isso, utilize a seguinte fórmula: CP (Custo de Produção) = MP (Matéria Prima) + MOD (Mão de Obra Direta) + CIF (Custo Indireto de Fabricação). Lembre-se que a matéria prima, a mão de obra e os gastos indiretos de um infoproduto, são diferentes de um produto físico.

Mão de obra

A mão de obra, nesse caso, não será, necessariamente, daqueles que ajudaram a produzir, como dito anteriormente, mas sim os gastos de sua empresa com funcionários em geral. Isso porque, é preciso pagar um salário para quem trabalha com você e esse dinheiro virá de suas vendas. Além disso, existem os gastos fixos e variáveis de sua empresa, que também devem ser levados em consideração na hora da precificação.

Os gastos fixos são os funcionários, uma plataforma que hospeda seu produto, o domínio, entre outros. Ou seja, são gastos corriqueiros e que são necessários para você e sua empresa. Os gastos variáveis, por sua vez, são aqueles que ocorrem de vez em quando, dependendo de inúmeras questões. Um exemplo é a emissão de boletos, que irá variar todo mês, dependendo do quanto você vendeu.

Margem de lucro

É preciso estabelecer uma margem de lucro em seus produtos, ou seja, um valor a mais de seus custos. Pois os custos serão sanados com o dinheiro que irá entrar, por exemplo, se gastar R$50 de luz, o valor mínimo do produto será R$50, para poder pagar essa conta. Contudo, é preciso lucrar e por isso, ao invés de R$50, cobro R$100, para assim lucrar R$50.

Então, estabelece uma margem de lucros, ou seja, uma porcentagem do preço final de seu produto, que irá para o seu bolso e não para gastos de sua empresa e produto. É preciso compreender, contudo, que a margem de lucro não é seu salário, pois é fundamental aplicar o lucro em sua empresa, para continuar a gerar capital.

Markup e margem de lucro

Lembre-se de que a margem de lucro será o valor total que irá lucrar com suas vendas, ou seja, se vender 10 produtos, então o lucro é a soma do que “sobrou” desses 10. Porém, o markup é o lucro que cada produto terá.

Por exemplo, sua empresa vende um curso on-line de empreendedorismo e um de redes sociais. O markup de um será R$200 e o do outro R$300, sendo assim, esse valor é o que deve “sobrar” de cada um.

Pesquisa de mercado

Para colocar preço em seu produto, além de levar em consideração os gastos e o lucro, é preciso pensar no mercado. Faça uma pesquisa minuciosa dos valores que estão no mercado, ou seja, quanto estão cobrando por produtos semelhantes ao seu. Isso é muito importante, uma vez que não se pode cobrar um preço muito pequeno, pois não irá obter lucro, ou um valor muito alto, porque não terá compradores em potencial.

Estabeleça um preço justo na sua precificação, referente ao que está sendo ofertado e que esteja na média do mercado em que sua empresa se enquadra.

Estratégias de precificação

Além de seguir um passo a passo para a precificação de seus produtos, é preciso seguir uma estratégia. Ela irá lhe ajudar a atrair compradores e lucrar com suas vendas.

Existem, atualmente, duas estratégias muito conhecidas que são, na maioria das vezes, adotadas pelos empreendedores. São elas:

Ticket alto

Essa estratégia diz a respeito dos produtos que são vendidos com um preço mais alto, do que o do resto do mercado. Essa estratégia pode parecer ruim, contudo, é muito interessante de ser adotada, principalmente, em casos de produtos inovadores ou ampla concorrência.

Um preço maior irá agregar um valor maior ao seu produto, uma vez que ele é mais inovador do que aqueles que já existem, isto é, ser caro pode indicar ao consumidor que o produto é melhor do que aqueles que estão sendo ofertados. É preciso ter em mente, no entanto, que valores muito altos podem afastar os consumidores, por isso o preço deve ser bem pensado.

Ticket baixo

Essa estratégia diz respeito aos produtos introduzidos ao mercado com um preço menor. Essa é uma estratégia sempre atrativa, uma vez que os consumidores amam pagar menos em produtos de qualidade. Uma vez que todos buscam por um preço acessível e com um valor menor, este será o caso do seu produto. Assim que percebem a boa qualidade, essas pessoas tendem a se fidelizar com sua empresa. É preciso ter cuidado, contudo, para não desvalorizar seu produto, prejudicar seu lucro e o pagamento de gastos, pois um valor muito baixo poderá não cobrir suas despesas.

Para escolher a melhor estratégia, é preciso levar em consideração o que você deseja no mercado. Se o que você quer é ingressar em um mercado competitivo apostando em inovação, o ticket alto é sua melhor opção. É preciso, no entanto, inovar, fazer algo diferente e atrativo, que justifique o valor maior. Mas, se deseja ingressar em um mercado competitivo e apostar em qualidade e preço baixo, o ticket baixo é a solução.

Então, agora que já sabe como colocar preço em seus produtos digitais, está na hora de começar a precificar. Mas se deseja saber mais sobre o mercado digital, criar estratégias de venda e divulgação para o meio e se tornar um grande empreendedor digital, você precisa conhecer o Método Sirius. Criado por Bruno Ávila, ele irá lhe mostrar como criar conteúdos assertivos e de qualidade, como publicá-los e como se destacar nesse mercado competitivo e que tanto cresce. Então, se você busca por tudo isso e mais, acesse o site e fique por dentro desse novo métodos!

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Bruno Ávila

Bruno Ávila

Bruno Ávila é publicitário e especialista em Marketing Digital. Um dos precursores do mercado de infoprodutos no Brasil. Hoje Ávila está a frente do Ser Notável, escola que ajuda pessoas a serem percebidas como autoridade através das redes sociais.

Outros artigos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *