fbpx

Saiba quanto o YouTube paga
por visualizações

Como plataforma de produção de conteúdo audiovisual, o YouTube é um grande destaque. Além de veicular vídeos de segmentos diversos e funcionalidades variadas, essa rede social é um excelente meio de impactar a jornada de compra das pessoas. Se você possui uma marca ou é dono de um negócio e deseja apostar em estratégias de marketing variadas para que sua presença digital cresça, entender como trabalhar seu conteúdo e seus produtos no sistema de monetização do YouTube pode causar um impacto muito positivo. Nesse contexto, uma dúvida recorrente entre os criadores de conteúdo de um canal é: quanto o YouTube paga aos youtubers por sua produção na plataforma?

Saber como ganhar YouTube paga é importante para lucrar com seus vídeos | Imagem: freestocks.org no Pexels

Para entender mais sobre quanto o YouTube paga por view e como ganhar dinheiro no YouTube de modo consistente, confira abaixo algumas dicas e informações que selecionamos sobre a plataforma!

Como funciona o pagamento no YouTube?

No sistema de pagamento do YouTube, as visualizações têm um peso determinante na quantia a ser recebida. Isso ocorre pois a plataforma paga os criadores que monetizam seu conteúdo por meio do CPM (custo por mil). Nesse modelo, ao invés da quantidade de dinheiro a ser recebido ser considerada a partir dos cliques nos anúncios que são exibidos com o vídeo, ela será avaliada pelas visualizações que os vídeos obtiveram: a cada 1000 views, o criador do canal receberá um valor determinado. Também é importante lembrar que uma view só é contabilizada se o anúncio veiculado no vídeo for assistido por mais de 30 segundos.

O CPM, assim como o RPM (receita por mil) e o CPC (custo por clique) são dados contabilizados e analisados a partir do Google AdSense, uma ferramenta exigida como requisito na hora de entrar no Programa de Parceiros do YouTube, focado na monetização de conteúdos.

Entenda o Google AdSense

Todas as métricas e formas de contabilizar quanto o YouTube paga por conteúdo feito hoje em dia giram em torno do Google AdSense e suas ferramentas. Essa ferramenta é um recurso de publicidade do Google que permite que os criadores de conteúdo em blogs e canais no YouTube possam receber um percentual da receita gerada por anúncios de outras empresas em seus espaços de criação. Em canais menores do YouTube, é possível perceber que não há anúncios antes, durante ou depois dos vídeos.

Isso ocorre porque, para habilitar o Google AdSense em parceria com o YouTube e começar a ganhar dinheiro na plataforma, é preciso atender a alguns critérios. Dentre eles, está a necessidade de ter mais de mil inscritos e mais de 4 mil horas de conteúdo exibido nos últimos 12 meses. Logo, é preciso crescer por conta própria e sem ganhos diretos do conteúdo no início, para que posteriormente seja feita sua inscrição no Programa de Parceiros do YouTube e os recursos do AdSense sejam liberados.

Para vincular sua conta do Youtube a essa ferramenta, é simples:

  1. Entre no seu canal;
  2. Vá em “monetização”;
  3. Clique em “inscreva-se no Google AdSense”.

Se a conta do AdSense já existe, é mais simples ainda: basta vincular diretamente as contas. Mas se não existe, você deverá criá-la seguindo os passos demonstrados durante o processo.

Métricas do Google AdSense

Como métrica, o YouTube faz uso do CPM, um custo determinado a ser pago a cada mil visualizações do anúncio. Esse CPM pode ser definido pelo próprio anunciante, então não possui um valor concreto já pré-determinado. Desse valor, o criador de conteúdo recebe 68%, pois uma parte é convertida para o próprio YouTube.

Mesmo sem um valor fixo, existe uma estatística capaz de fornecer uma noção de quanto o youtube paga por visualização, chamada de RPM (receita por mil). Ela considera variadas fontes de obtenção de receita, como anúncios, Super Chat, Super Stickers, Clube dos Canais e até o YouTube Premium, que possui a monetização do conteúdo de forma mais direta como um diferencial em sua dinâmica. Seu valor pode ser menor do que o visto como CPM, pois considera apenas a quantia que será efetivamente do canal, fora a receita do YouTube.

CPM x RPM

A análise do CPM é um bom indicador do valor atribuído ao público de determinado canal pelos próprios anunciantes, e reflete diretamente no comportamento deles. Mas, é preciso um cuidado ao calcular esse valor, pois não consiste simplesmente em multiplicar o CPM pela quantidade de views. Os anunciantes pagam um valor, mas parte dele é direcionada ao próprio YouTube. Há também a questão de que nem todas as visualizações são monetizadas, ou seja, nem todas as vezes que um usuário viu seu vídeo ele assistiu a um anúncio. Apenas contam para esse sistema as visualizações que estiverem dentro dos critérios de monetização.

Já a função do RPM vai para outro lado da análise de métricas. Essa “receita por mil” é especialmente um parâmetro para os criadores, e não para os anunciantes. Ela ajuda a entender quanto o criador ganha a cada mil visualizações, e demonstra a eficiência, ou a falta dela, nas estratégias de divulgação, produção e impacto financeiro.

Quanto o YouTube paga por 1 milhão de visualizações?

Ter um milhão de visualizações no YouTube é uma métrica significativa, e muitos youtubers possuem a dúvida de quanto o Youtube paga por essa quantia de views em um vídeo. Não há um valor fixo e pré-determinado pela plataforma, pois uma série de variáveis influenciam na quantidade que o criador recebe pelos seus vídeos, como o custo por clique. Até mesmo datas comemorativas, que aumentam a procura dos usuários por um tema, influenciam no pagamento aos criadores de vídeos sobre a questão. Nessas condições favoráveis de períodos comemorativos ou em que algum evento acontece, como a Black Friday, o valor do pagamento com um CPM é alto, e é possível receber entre US$ 600 e US$ 1.200 pelo conteúdo.

Mas, quanto o YouTube paga por 1 milhão de visualizações é uma métrica apenas estipulada. Há relatos de criadores que contam já terem ganhado de US$ 2000 a US$ 4000 dólares por um milhão de views na plataforma. Não há um “salário”, um valor confirmado que será pago pelo YouTube por essa quantia. Mas, apesar das variações, um milhão de visualizações em um post possui certamente um potencial de trazer bons frutos tanto financeiros, quanto de novos inscritos ao canal.

Como conseguir mais visualizações?

Após entender como as visualizações são importantes para a rentabilidade do seu conteúdo e quanto o YouTube paga por view, ter um olhar atento para as maneiras de conquistar mais visualizações é essencial. Isso irá colaborar não só para aumentar os lucros, mas para melhorar o engajamento dos inscritos de uma forma geral e consolidar ainda mais suas estratégias digitais. Dentre as dicas que podem ajudar criadores de conteúdo nesse processo, estão:

Fazer um conteúdo de qualidade

Pode parecer óbvio, mas preocupar-se em fazer um conteúdo com qualidades técnicas e formais é uma variável muito importante para entender quanto o YouTube paga pelas visualizações do conteúdo, e como alcançar números maiores. Diversifique os formatos entre vídeos e transmissões ao vivo sobre pautas que se encaixem à sua proposta e à sua identidade.

Não é preciso ser um profissional e possuir equipamentos, técnica ou quaisquer outros requisitos de experiência prévia para fazer um vídeo de qualidade. Com o próprio celular, criar um roteiro para estruturas ideias, gravar com um enquadramento interessante de boa qualidade e editar todo o vídeo como for preciso é muito viável e benéfico. Isso passa credibilidade, clareza nas mensagens e profissionalismo aos outros.

Conhecer o público

Sem conhecer seu público-alvo ou persona, fica mais complexo criar um conteúdo que seja do interesse deles, algo realmente impactante e útil para os inscritos no canal. Ganhar mais visualizações pelo que é veiculado na página é um modo orgânico e eficaz de conquistar inscritos que irão te acompanhar por muito tempo após conhecerem o canal.

Conhecer o público está diretamente relacionado à definição do tipo de conteúdo que será trabalhado pelos vídeos. Produzir conteúdo buscando agradar a todos que entrarem em contato com ele pode ser um “tiro no escuro” como estratégia definitiva para a dinâmica do canal. Apostar em um tema direcionado a um nicho mais específico oferece mais chances de likes, comentários e até de um novo inscrito, que poderá se interessar pelo tema abordado e verá o canal como uma fonte de qualidade sobre a questão.

Isso vale tanto para um influencer, quanto para uma empresa: atuar de acordo com o segmento de mercado e com uma persona bem definida faz com que o seu potencial de aumentar as visualizações dos seus vídeos aumente. Publicar algo sem saber qual a sua intenção com aquilo é desnecessário e pode ser considerado como uma perda de tempo.

 Compartilhar nas redes sociais

Divulgar o conteúdo do YouTube também com os seguidores no Instagram, Facebook, Twitter ou outra rede que seja pertinente ao seu trabalho como criador é uma estratégia indispensável para construir uma rede mais ampla e sólida de pessoas interessadas no conteúdo audiovisual produzido. Trabalhar com alguns teasers, mostrando apenas parte do que foi postado no YouTube em outras redes sociais e colocando um “call to action” para direcionar os usuários ao seu canal é uma boa opção para manter o foco na rede principal, mas, ao mesmo tempo, sair da “bolha” de youtubers.

Os seguidores de outras redes sociais que ainda não haviam despertado interesse pelo YouTube também poderão facilmente acessar e conhecer as produções de conteúdo audiovisual que estão no seu canal. Mostre que os vídeos possuem originalidade, compartilhe nos stories ou feed e mostre que vale a pena consumir os diferentes conteúdos de cada rede social da sua marca.

Usar estratégias de marketing digital

O uso de estratégias de marketing digital no canal do YouTube pode influenciar diretamente no quanto o YouTube paga pelo seu conteúdo, já que o bom uso de recursos do marketing terá potencial de aumentar as visualizações dos seus vídeos. Dentre os bilhões de usuários da plataforma, destacar-se não apenas com o conteúdo, mas com a forma em que ele é compartilhado é uma preocupação válida e recomendada para que sua presença digital renda um impacto maior.

Nesse contexto, a otimização dos vídeos para um bom desempenho nos buscadores por meio do uso de técnicas de SEO é um destaque a ser seguido. Usar palavras-chave pertinentes ao conteúdo no título do vídeo e na descrição, além de deixar o título atrativo, claro e conciso vai fazer com que o canal se posicione melhor nas ferramentas de busca e conquiste mais views.

Não se esqueça de apostar em outros elementos, como as hashtags e legendas. Com as tags, a segmentação do conteúdo é feita de forma bem mais eficiente, o que o torna mais fácil de ser encontrado principalmente pelo público-alvo. Já as legendas, além da questão da otimização para SEO, tornam o conteúdo mais inclusivo e melhoram a experiência do usuário.

Fazer parcerias

É certo que, no seu segmento de atuação, existem vários outros criadores de conteúdo buscando entender quanto o YouTube paga por view, e que tentam aumentar as visualizações de seus vídeos diariamente. Ao invés de enxergá-los com rivalidade, vale a pena considerar marcas, influenciadores e produtores para desenvolver um marketing colaborativo, uma ação de vídeo conjunta na plataforma para levar o conteúdo de ambos a um público maior.

Os criadores, nesse caso, podem gravar vídeos no formato que preferirem, como um bate-papo ou uma dinâmica. Um vídeo é postado no canal “X” e outro no canal “Y” (canais de cada criador), o que desperta a curiosidade de públicos de uma conta para acessar a outra devido à similaridade no tema do nicho em que se encontram. O crescimento poderá ser quantitativo e, acima de tudo, qualitativo, pois as visualizações virão de novos inscritos que fazem parte do público-alvo dos canais.

Gostou do tema e já sabe quanto o YouTube paga para seus produtores de conteúdo? Não deixe de conferir os outros artigos sobre marketing digital e continue notável na internet!

Referências:

https://www.remessaonline.com.br/
https://blog.travelpayouts.com/en/youtube-cpm-rates/
https://support.google.com/youtube/answer/
https://neilpatel.com/br/blog/como-conseguir-visualizacoes-no-youtube/
https://rockcontent.com/br/blog/marketing-no-youtube/#por%20que

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Bruno Ávila

Bruno Ávila

Bruno Ávila é publicitário e especialista em Marketing Digital. Um dos precursores do mercado de infoprodutos no Brasil. Hoje Ávila está a frente do Ser Notável, escola que ajuda pessoas a serem percebidas como autoridade através das redes sociais.

Outros artigos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *