fbpx

Segurança cibernética: como proteger sua empresa online

Nos últimos tempos, o roubo de dados on-line vem se intensificando e, por isso, a segurança cibernética vem sendo discutida a cada dia que passa. Além disso, este debate traz à tona a importância da transparência em relação ao uso de dados por parte de empresas como o Facebook e outras que atuam na internet. Mas você sabe o que é segurança cibernética? A princípio o termo pode parecer complexo, mas a ideia é mais simples do que imaginamos e se relaciona muito bem com questões do dia a dia.

Pensando nisso, a seguir, explicaremos o que é segurança cibernética, o que são ataques cibernéticos e como garantir a sua segurança cibernética atualmente.

Saiba o que é segurança cibernética e tudo sobre a evolução da segurança cibernética. | Foto: Freepik.

O que é segurança cibernética?

Com o advento da tecnologia, muitas pessoas passaram a usar a internet diariamente. Pagar contas, comprar on-line, compartilhar informações e diversas outras ações digitais fazem parte de nossa rotina. Mas será que estamos seguros na internet? A resposta é não. Porém, assim como não estamos seguros em outros espaços, o mesmo ocorre nos espaços digitais. Para isso, criamos regras e sistemas de segurança.

A segurança cibernética foi criada para proteger os usuários de roubos de dados, invasões em seus dispositivos eletrônicos, manipulações, entre outros tipos de ataques. Esse sistema de segurança nada mais é que um conjunto de ações sobre pessoas, tecnologias e processos feitos para impedir ataques cibernéticos, que comprometam a integridade física e digital dos usuários on-line. Sendo assim, é possível afirmar que a segurança cibernética é uma série de medidas adotadas no meio digital para proteger aqueles que a usam.

A segurança cibernética também é conhecida como segurança de TI, segurança digital e cibersegurança. Esse tipo de segurança é uma das ramificações da segurança da informação.

Ataques cibernéticos

Como foi dito, a segurança cibernética foi criada para impedir e identificar ataques cibernéticos. O objetivo dessa rede de segurança é impedir o roubo de dados e informações digitais, além da invasão de aparelhos. Mas antes de compreender mais sobre a segurança cibernética, é preciso conhecer os tipos de ataques.

Os ataques cibernéticos são uma série de ações que utilizam das vulnerabilidades digitais para roubar dados e informações. Esses ataques podem ser feitos contra pessoas físicas, com o roubo de informações como dados bancários e, em empresas, com o roubo de informações pessoais do negócio ou até mesmo de dados de clientes.

O primeiro ataque cibernético que se tem conhecimento ocorreu em 1971, sendo o primeiro worm, traduzido para português verme, de computador. Durante o ataque, foi exibida a seguinte mensagem: Eu sou o Creeper, pegue-me se puder. Após esse feito, outros tipos de ataque foram elaborados, cada um com uma finalidade diferente, mas todos igualmente danosos. A partir daí, criou-se uma cultura de ataques cibernéticos e de segurança cibernética. Confira os principais, a seguir:

Vírus

Um dos tipos mais comuns de ataque cibernético, o vírus é um programa ou código usado para danificar aparelhos eletrônicos, como celulares e computadores, corromper arquivos e destruir dados. O vírus fica inativo no aparelho, ou seja, sem ação, até que o usuário o ative ao acessar o programa que está corrompido. Por exemplo, o usuário baixa um arquivo com um vírus, porém, ele apenas irá danificar seu aparelho quando for aberto.

Worms

Os worms são o tipo de ataque mais antigo que se tem, inventados na década de 70 e utilizados até meados da década de 90. Esse tipo de ataque está vinculado a mensagens e e-mails, funcionando da seguinte forma: o usuário recebe um e-mail corrompido e ao abri-lo, libera o worm por todo o sistema, sem nenhum tipo de autorização.

Em poucos minutos, os worms tomam todo o sistema de computadores, principalmente quando os serviços são integrados. Esse tipo de ataque era utilizado para danificar e roubar dados de empresas.

O que diferencia esse tipo de ataque do vírus é que os vírus pedem um tipo de ação dos usuários, ou seja, o usuário deve concordar com a ação. Por exemplo, ele baixa um arquivo corrompido e ao abri-lo, uma mensagem surge na tela perguntando se ele permite a execução do programa. Acreditando na segurança do que baixou, a pessoa concorda e o vírus se espalha. No caso dos worms, eles simplesmente são liberados no sistema após a abertura do e-mail, danificando toda a rede.

Adware

Neste caso, a partir de programa de adware, os golpistas direcionam as pesquisas do navegador de usuários para páginas de promoções de produtos, que aparentam autenticidade e que sejam inofensivas. Porém, durante essa ação, dados como a localização, senhas e endereços de IP do computador ou do e-mail dos usuários são roubados.

Ransomware

Este é um dos tipos de ataque cibernéticos que mais ocorrem no Brasil. O ransomware, também conhecido como sequestrador digital, é um software que se infiltra em aparelhos eletrônicos, codifica os dados do sistema e bloqueia o acesso dos usuários. Ou seja, quando isso ocorre com um computador, por exemplo, o dono da máquina perde o acesso ao sistema, não podendo utilizar seu aparelho. Em seguida, os golpistas entram em contato com o usuário e pedem um determinado valor para devolver o acesso às máquinas. Na maioria das vezes, os valores são em bitcoin, um tipo de criptomoeda.

Cavalo de Tróia

O Cavalo de Tróia, também conhecido como Trojan Horse, é um tipo de malware, que se infiltram em programas que, aparentemente, são inofensivos e, quando executados, passam a roubar dados. Esse tipo de ataque cibernético é comumente confundido com os vírus, contudo, são bem diferentes. Isso porque, o vírus infecta todo o aparelho, roubando informações e danificando o sistema. O Cavalo de Tróia, por sua vez, é imperceptível, pois ele apenas rouba dados, mas não danifica o sistema.

Spyware

Este é um software de espionagem que rouba dados e informações da vítima sem que seja percebido. Ele, normalmente, funciona em segundo plano, dificultando a descoberta desse tipo de ataque. O spyware é usado para o roubo de dados bancários, de senhas, de dados de cartão de crédito, entre outros.

Informações empresariais

As informações empresariais estão entre os dados mais visados para os ataques cibernéticos. Isso porque, atualmente, as empresas possuem os dados de milhares de pessoas, como dados pessoais (Nome, CPF, RG, entre outros), dados bancários, informações sobre cartão de crédito, dados sobre localização, IP de computadores, entre tantas outras. Além disso, existem os dados das próprias empresas, que devem ser preservados para a segurança do negócio e, até mesmo, de seus funcionários.

Por isso, a cada dia que passa, essas empresas buscam novos meios de se proteger com a segurança cibernética. Equipes de TI passam a desenvolver novas tecnologias de segurança, criar sistemas e enriquecer termos de uso e segurança em seus sites. Além disso, as redes sociais passaram a se atentar com seus termos de segurança e a coleta e compartilhamento de dados de seus usuários. Essa preocupação surgiu após o escândalo com o Facebook, que foi acusado de coletar e fornecer dados de usuários sem o consentimento deles.

Como garantir a segurança cibernética da empresa?

Mas a questão que fica é: como garantir a segurança cibernética da empresa e, além disso, de seus próprios dados pessoais. Isso é possível com a adoção de tecnologias de segurança cibernética, como softwares e programas que detectam ataques e impedem que esses roubem dados e danifiquem sistemas. Os famosos antivírus, por exemplo, foram um sistema criado para combater tal problema. Outros programas como firewalls, IDS/IPS, webfilters e vouchers podem ser utilizados. A realização de backups também é indicada para a segurança de dados e informações.

Além disso, as empresas devem criar uma Política de Segurança, que levará em consideração a rotina da empresa, os programas utilizados, os dados e informações obtidas e guardados em seus sistemas, entre outros pontos. Aconselha-se o uso da ISSO/IEC 17799:2005 como norma base para a segurança de informações de sua empresa.

Nessa política devem ser estabelecidas regras para os funcionários e clientes, quais os sistemas de segurança cibernética serão utilizados, a contratação de especialistas na área, entre outros pontos. A empresa deve estar prevenida e preparada para ataques cibernéticos e para isso, é preciso investir em segurança cibernética. Agora que você já sabe o que é segurança cibernética e como garantir a segurança cibernética de sua empresa, está na hora de agir e se proteger. Mas se você deseja saber mais e ir além de questões de segurança na internet, nós temos o que você precisa. O Método Sirius, criado por Bruno Ávila, ensina a seus usuários como se tornarem relevantes na internet e dominarem sua área. A partir de conteúdos assertivos, publicações nas horas certas e na criação de estratégias de marketing, uma empresa pode se tornar um marco na internet. Então se você gostou e quer  saber mais sobre o Método Sirius, acesse o site.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Bruno Ávila

Bruno Ávila

Bruno Ávila é publicitário e especialista em Marketing Digital. Um dos precursores do mercado de infoprodutos no Brasil. Hoje Ávila está a frente do Ser Notável, escola que ajuda pessoas a serem percebidas como autoridade através das redes sociais.

Outros artigos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.