fbpx

Aprenda de forma definitiva como funciona a monetização no Youtube

A monetização no YouTube é a quantia paga conforme os cliques e visualizações nos anúncios veiculados nos conteúdos mais relevantes. No entanto, para conseguir esse benefício, o criador deve alcançar um certo número de inscritos, assim, a cada mil visualizações, é paga uma remuneração em dólar.

Mesmo assim, algumas pessoas ainda têm dúvidas sobre essa ferramenta. Portanto, entenda melhor como funciona a monetização no YouTube e como receber esses pagamentos da monetização da plataforma.

A monetização no YouTube funciona conforme os cliques e visualizações do canal. Saiba mais sobre monetização. | Foto: Pixabay.

Como monetizar seus vídeos

Em primeiro lugar, é importante entender o que é a monetização no YouTube: nada mais é do que uma maneira de remunerar os criadores de conteúdos mais relevantes na plataforma, considerando o que é publicado ou assistido nesses canais.

Por isso, para ter direito a monetizar YouTube, os produtores devem seguir uma série de diretrizes, como alcançar um número mínimo de exibições nos vídeos, de horas assistidas e quantidade de seguidores. Após atingir essas metas, será possível se cadastrar de maneira gratuita no programa.

Os valores recebidos podem variar conforme visualizações, cliques e o tempo que é assistido o anúncio, porém seguem uma regra: a cada mil visualizações, o criador recebe um valor entre U$ 0,60 e U$ 5,00 pagos em dólar. 

No entanto, após publicações inadequadas, a monetização ficou mais complexa nos últimos anos, assim, foram bloqueadas as veiculações automáticas e critérios foram determinados para que as empresas tenham a sua marca vinculada a canais com credibilidade.

Nesse sentido, existem diversas maneiras de ganhar dinheiro no canal, por exemplo, com receita de publicidade, clube dos canais, estante de produtos, super chat, super stickers e com receitas do YouTube Premium.

Por outro lado, existem algumas dicas importantes para manter o seu canal ativo, como criar conteúdos para núcleos familiares, investir em regras SEO específicas, manter a regularidade nas publicações, busca por novidades, procurar meios de fidelização do público, disponibilizar conteúdos originais e monitorar as principais tendências nos mecanismos de busca.

No entanto, algumas regras devem ser seguidas em cada segmento para alcançar a monetização: clubes dos canais (ter 18 anos e mais de 30 mil inscritos), estantes de produtos do canal (ter 18 anos e mais de 10 mil inscritos), super chat (ter 18 anos e ser residente em um país que tenha essa opção disponível) e receita do YouTube Premium (criar conteúdos para assinantes dessa plataforma).

O que pode desmonetizar seus vídeos

Entre os fatores que podem causar a falta de monetização do seu vídeo, estão:

Linguagem imprópria e ofensas

Em primeiro lugar, dois aspectos que podem levar à perda de monetização dos vídeos no YouTube são: conteúdos vulgares ou obscenos, dependendo do contexto, podem tornar o vídeo inválido para receber campanhas de publicidade.

Além disso, conteúdos maliciosos, discriminatórios e abusivos também fazem parte dessa lista, como também as produções que motivam ódio, ou menosprezam grupos de pessoas ou determinado indivíduo, não são adequados para receber peças publicitárias no YouTube. Entre os assuntos que podem ocasionar essas penalidades estão: raça, origem étnica, nacionalidade, religião, deficiência, idade, status de veterano, orientação sexual e identidade de gênero.

O YouTube ainda destaca que conteúdos de comédia podem ser exceções, porém informa que apenas a intenção cômica não é suficiente como justificativa em determinadas situações.

Violência e atos perigosos

As produções de conteúdo também podem motivar a falta de monetização dos vídeos. Nesse sentido, evite conteúdos com cenas de tiroteio, guerra, crueldade animal, violência explícita ou contra crianças, caça e armas de fogo.

Desse modo, produções como desafios, pegadinhas, ameaças de danos físicos, procedimentos médicos invasivos, práticas de tratamento, atos perigosos ou atividades que ocasionam danos à saúde também não se qualificam para a publicidade no YouTube.

Conteúdo adulto e infantil

Outro aspecto que o YouTube pode retirar da monetização, são os conteúdos altamente sexualizados, por exemplo, atos sexuais explícitos, linguagem sexual, foco em nudez, arte corporal, discussões sobre experiências sexuais, fetiches e conselhos sobre desempenho sexual.

Além disso, algumas mudanças recentes no YouTube limitaram a monetização em alguns conteúdos infantis, portanto, essa categoria agora é personalizada para cada conteúdo, então o recomendado é que os criadores de conteúdo prestem atenção na hora de realizar essas produções.

Como receber seu dinheiro

Após entender como monetizar YouTube, está na hora de saber como receber o seu dinheiro. Nesse sentido, o Google, proprietário da plataforma, realiza o pagamento mensalmente aos criadores de conteúdo em dólar, assim, para receber a monetização será necessário realizar uma transação internacional.

Em contrapartida, bancos e instituições financeiras tradicionais cobram taxas elevadas por esse serviço, então o ideal é procurar por opções mais vantajosas. O recebimento é feito pelo Google Adsense, plataforma responsável por processar e distribuir os anúncios.

No entanto, o método de pagamento deve ser configurado na plataforma, portanto, é preciso ir até as configurações da sua conta, na parte de “pagamentos”, em seguida, selecionar a opção “como você recebe pagamentos”.

Assim, basta realizar o cadastro e escolher uma instituição financeira que ofereça vantagens exclusivas para os clientes, com segurança, rapidez e economia para transações internacionais. Por isso, é importante conhecer os bancos e agências digitais, como também pesquisar as garantias, taxas e prazos oferecidos.

A monetização do YouTube virou uma alternativa de negócios para muitos criadores de conteúdo, assim, saber como funciona a monetização no YouTube, é essencial para alavancar as suas produções na plataforma. Nesse sentido, também é importante saber quais são as vantagens que as suas agências oferecem nessas situações, como também o ideal é saber mais sobre essas regras de pagamento para não correr o risco de ter alguns vídeos desmonetizados.

Saber como monetizar canal do YouTube é importante para conseguir arrecadar os pagamentos das suas produções na plataforma. Saiba mais sobre monetização no YouTube. | Foto: Pixabay.

Método Sirius

Muitas pessoas pretendem usar ou já usam as redes sociais de maneira profissional. No entanto, boa parte desses empreendedores digitais não atingem os resultados esperados, mesmo postando com frequência no Instagram e no Facebook, ou publicando vídeos no YouTube. Este é o seu caso? Então, o Método Sirius foi feito para você. Com ele, você irá:

  • Criar conteúdos que gerem resultados rápidos e a percepção imediata de autoridade;
  • Postar conteúdo certo, no momento certo e na frequência certa;
  • Ganhar reconhecimento, visibilidade, seguidores e um negócio on-line milionário.

Além disso, com o Método Sirius, você terá à sua disposição lives exclusivas, onde seu projeto poderá ser analisado ao vivo; um grupo de acompanhamento, que inclui o criador do método, Bruno Ávila, e outros grandes notáveis e, ainda, receberá todas as atualizações durante um ano. Para ter acesso a como funciona a monetização no YouTube e muito mais informações sobre monetização e, ainda, conhecer cases de sucesso do Método Sirius, acesse o site e cadastre-se na lista VIP!

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Bruno Ávila

Bruno Ávila

Bruno Ávila é publicitário e especialista em Marketing Digital. Um dos precursores do mercado de infoprodutos no Brasil. Hoje Ávila está a frente do Ser Notável, escola que ajuda pessoas a serem percebidas como autoridade através das redes sociais.

Outros artigos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.