fbpx

Começar do ZERO: saiba como criar seu curso online

É com toda certeza que podemos afirmar que as novas tecnologias vieram para ficar. Elas facilitam nosso dia a dia, nos aproximam das pessoas, são uma fonte de informações diferentes (por exemplo, ao criar curso online) e possibilitam que usemos seu espaço para ensinar e aprender com outras pessoas. Estamos todos conectados e podemos usar toda essa quantidade de dados que vemos diariamente nos nossos eletrônicos para algo útil, como criar e vender cursos online. Eles são perfeitos para nosso dia a dia, ainda mais se são assíncronos, estão em formatos e temas diversos e ainda podem garantir um certificado no final e dar aquela melhorada no currículo. Melhor do que assistir, é saber como criar curso online, que podem até dar uma renda extra na sua conta.

Cursos online têm sido uma ótima ferramenta de aprendizagem, além de terem se tornado um negócio lucrativo e promissor, já que o mercado de cursos online cresceu cerca de 68%, e a busca por cursos de especialização cresceu em 130%, segundo um levantamento do Google. Se você está interessado em partir para esse negócio, mas ainda não sabe como criar curso online, pode ficar tranquilo que aqui vamos explicar como criar um curso online do zero

Você quer criar curso online e não sabe por onde nem como começar? Veja aqui algumas dicas de como iniciar o seu negócio!
Veja como criar um curso online | Foto: Unsplash

 Dicas para começar seu curso online 

1. Pesquise sobre o mercado de cursos online

Como mencionamos, o negócio de cursos online está crescendo muito e a tendência é que só aumente. Se você quer saber como criar e vender cursos online, é bom pesquisar bastante sobre o assunto. Procure fóruns na internet que falem sobre esse tema, converse com pessoas que dão cursos online e como eles se sentem ao participar dessas vendas.

Pesquise quais são os temas mais procurados e quentes do momento e o que o público geral mais gosta de assistir. A partir disso, você pode procurar o tópico que mais te agrada e ir lapidando o tema até chegar em um conteúdo que você domine, goste, que esteja em alta nas tendências e seja lucrativo.

Converse com seus amigos e familiares e veja o que eles pensam da ideia, se eles acham que ela combinaria com você. Afinal, eles te conhecem bem e sabem o que se encaixaria no seu perfil e o que não teria muito a sua cara. Desse modo, você pode ter uma certeza maior de que essa ideia é uma ótima oportunidade de negócio para você ganhar muito dinheiro ou não, pois se você não souber para onde seu curso vai, não souber o que vai fazer com ele e não tiver o perfil adequado para isso, suas vendas não vão progredir. 

2. Organize seus horários e tarefas

Para algumas pessoas, o curso online será a renda principal, para outras, será um dinheiro extra na conta. De qualquer jeito, é preciso se programar, definir quantas horas você irá se dedicar a isso diariamente. Organize suas finanças, tenha noção do quanto você poderá investir no seu negócio.

Você preferiria assistir ao curso de alguém que montou um curso inteiro em 1 dia ou assistir ao de quem demorou no mínimo uma semana para se programar e fazer um projeto o mais completo possível? Quanto mais tempo e cuidado você dedicar ao seu trabalho, mais ele será de qualidade e, portanto, mais pessoas se interessarão por ele.

Faça uso de agendas, cronogramas, planners, tudo que tiver direito, não se esquecendo de sempre reservar uma quantia generosa de seu tempo para montar o curso e pensar sobre ele, de modo que não altere sua rotina de trabalho ou doméstica. Que tal em vez de marcar um barzinho com os amigos, você chamar eles para ir à sua casa? Apresente sua ideia para eles, desse modo você junta lazer com sua tarefa inicial de montar seu curso.

Além disso, pesquise sobre: seu tema, o mercado online, a plataforma para hospedar seu curso, seu público-alvo e formas de assinatura e rentabilidade. Organize um roteiro e plano de aulas e, a partir das informações anteriores, defina o formato do seu curso. Crie seu curso online com muita dedicação e paixão.

O mais trabalhoso sobre o curso será no começo, pois você ainda está se aquecendo para o que virá depois. Esse momento requer muita dedicação e paciência. Pesquise muito sobre o mercado online, o assunto que você quer abordar e o dinheiro que você quer investir. Organize seus horários para ter um momento para fazer essa pesquisa, e depois usá-lo para fazer a pré-produção do seu curso, depois use-o para a produção e para o pós-produção. Todas essas etapas requerem horas diferentes, então, a etapa de organização do seu cronograma não pode ser ignorada em nenhum momento.

3. Brainstorming, também conhecido como tempestade de ideias

O termo brainstorming ganhou popularidade nos últimos anos, especialmente nas áreas de marketing e de publicidade e propaganda. Ele significa, basicamente, anotar várias ideias que vão surgindo na sua cabeça. Eventualmente, elas vão acabar fazendo sentido e vão se conectando, e você consegue montar um plano a partir das palavras que surgiram.

Faça essa tempestade de ideias para definir o tema do seu curso. Pense em assuntos que você goste, por exemplo: finanças, culinária, geografia, etc. Depois, pense em assuntos que estão em tendência no momento. Tente conectar esses dois mundos, pois não adianta falar de um assunto em alta, mas que você não entende nada ou não gosta, ou falar de algo que você adora, mas que ninguém estará interessado em assistir, pois não é um assunto do momento.

Use desse mesmo recurso na hora de escolher o formato do seu curso: podem ser e-books, vídeoaulas, screencasts, audiobooks, podcasts, e-Magazines ou kits. Analise qual desses formatos é mais rentável para você e qual é o mais interessante para abranger o conteúdo do seu tema. 

4. Defina qual será o programa de assinaturas do seu curso

Outro tópico importante para você pesquisar e refletir sobre é de como você fará o plano de assinaturas do seu curso. Existem diversos formatos de assinaturas para um curso na Internet, por exemplo: planos de assinaturas, curso completo com acesso por um tempo determinado, vendas por módulos individuais, entre outras opções.

Há dois tipos principais de venda: recorrente e pontuais. Naquele, o cliente assina um curso que fará pagamentos recorrentes. Nesse plano você tem uma certa garantia do dinheiro que você vai ganhar, já que um contrato foi assinado. Esse modelo é indicado para quem já tem uma base grande de conteúdo ou irá produzir com uma frequência alta, disponibilizando novidades para os assinantes.

O modelo de vendas pontuais é de vendas únicas, o cliente compra uma vez e não tem mais vínculo com o professor. Você vende ele em módulos ou pacotes para serem usados uma vez, como cursos preparatórios para provas. Com esse modelo, você não tem previsão de lucro, já que é pago somente uma vez, por isso é necessário investir todo mês em conteúdos novos e marketing para atrair novos alunos e segurar os alunos que já compraram com você.

Cada modelo atrai um tipo de público e um nicho específico. Saiba se seu público prefere um curso por assinatura, com conteúdo mensal, ou um curso inteiro que os alunos pagam como pacote.

5. Conheça e estude seu público-alvo

É difícil achar um assunto que agrade gregos e troianos, ainda mais depois de toda diversidade que a Internet oferece e cada vez mais podemos ir achando temas mais específicos e que combinam com nosso gosto. Se tem conteúdos que você não assistiria, pode ter certeza que existem várias pessoas por aí que também não acham que seu curso seria interessante para elas; mas também há um grupo de pessoas que com certeza pagariam pelo seu produto e ainda recomendariam para os amigos. Você precisa achar e estudar seu público-alvo.

Qual nicho de mercado você quer abranger? O que você irá fazer para alcançá-lo? Use a internet e as redes sociais ao seu favor. Procure comunidades e grupos nas redes que seu público participa e veja o que eles consomem, como se comportam, o que atrai e chama a atenção deles.

Quando você estuda seu público, você consegue delimitar melhor os assuntos do seu curso, o formato dele e qual será o plano de assinaturas que você vai investir.

Como montar um curso online

Agora que você já sabe qual será o tema do seu curso, já programou e fez um roteiro das aulas, já escolheu a plataforma de sua preferência para hospedar o curso e já pesquisou seu público-alvo, está na hora de montar seu curso! Para ter uma noção de se sua ideia está no ponto certo, existem três estratégias para você experimentar:

Pré-venda

Essa tática pode servir de termômetro para ver a animação do mercado com seu produto. Começando com as vendas de um curso antes da data oficial de lançamento, dá para ter uma noção mais precisa sobre o tamanho do público interessado em seu conteúdo.

Piloto

Sabe quando assistimos a uma série de televisão e o episódio chama piloto? Exatamente a mesma ideia pode ser aplicada para seu curso. Lance uma aula piloto e veja quantos clientes você consegue engajar, desse modo você terá uma noção logo no começo se seu curso está dando certo e se vai fazer sucesso, além de dar alguns ajustes finais no seu projeto.

Google Analytics

Essa ferramenta do Google permite analisar o tráfego e comportamento de páginas na web, desse modo você pode ter uma noção de quantas pessoas estão acessando seu site, e assim você pode ter uma noção do engajamento geral do curso.

 Quanto custa criar um curso online?

Isso depende de inúmeros fatores, como:

  • Se a plataforma que você escolheu para pagar o curso é paga ou gratuita. Lembrando que não é necessário ter conhecimento em programação para ter uma plataforma de cursos online. Basta procurar um serviço que atenda às suas necessidades para criar seu próprio canal ou plataforma, não precisa criar sua própria.
  • Se você achou melhor contratar profissionais para fazer o marketing e divulgação do curso, editores e produtores de vídeo ou contratou diagramadores e revisores. Qualquer um desses gastos de fora com outras pessoas pode ser evitado se você domina essa área e vai conseguir fazer bem feito essas etapas.
  • O quanto você gastou com equipamentos como: estúdio de gravação, microfones, computadores, HDs, programas de edição, câmeras e filmadoras. Isso vai depender muito do formato que você dará para seu curso online e pode variar de acordo com isso também
  • O quanto você vai investir no seu curso. Não é porque alguém investiu dez mil reais no curso dele, enquanto o seu que você investiu dois mil, que o curso dele será melhor que o seu. Às vezes, ele gastou muito em equipamento e profissionais de fora, enquanto você já tinha tecnologia de ponta e tinha as habilidades técnicas necessárias. O que você precisa ter em mente é a qualidade do seu curso, se você não sabe editar e não quer contratar um editor, seu vídeo não ficará tão interessante; o mesmo vale para um microfone de ponta, se o seu for um que emite ruídos, os alunos com certeza não vão tolerar isso.

Criar curso online é mais fácil do que parece. É necessário muito planejamento, pesquisa e estudo no começo. Depois da pré-produção concluída, vem a parte divertida de publicar o curso e as atividades das aulas. Por último, vem a parte de emitir certificados para os alunos, receber feedbacks e dar ajustes no seu programa. Com o curso online, você ganha mais liberdade para trabalhar, pode deixar sua criatividade entrar em ação, tem mais flexibilidade de horários e tem uma qualidade de vida melhor, pois você se torna seu próprio chefe. Está esperando o que? Use essas dicas e crie seu curso online!

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Bruno Ávila

Bruno Ávila

Bruno Ávila é publicitário e especialista em Marketing Digital. Um dos precursores do mercado de infoprodutos no Brasil. Hoje Ávila está a frente do Ser Notável, escola que ajuda pessoas a serem percebidas como autoridade através das redes sociais.

Outros artigos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *